• Segunda-feira, 6 de dezembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Gestor - Safra 2020/21: aprendizados deixados para a próxima safra


Sexta-feira, 12 de novembro de 2021 - 17h00

Foto: Envato Elements


Em continuidade ao assunto abordado na Carta Gestor - Fazendo o certo na hora certa, este conteúdo está direcionado para você, produtor, que tem fazendas no Brasil em regiões abaixo da Linha do Equador, portanto, localizadas no Hemisfério Sul, e com período chuvoso regular com início entre setembro e novembro e término entre março e maio. Se sua fazenda está no Hemisfério Norte ou na maioria dos estados da região Nordeste, terá que usar seu bom senso e inverter as estações para aplicar o conteúdo deste texto à sua realidade. Considere que um período chuvoso regular é aquele no qual a precipitação média histórica mensal tem volume acima de 100 mm de chuvas.


A amostragem de solo já foi feita? As análises de solos já estão prontas? As análises já foram interpretadas? As recomendações de correção e adubação já foram feitas? As recomendações estão com base em suas metas específicas?


Se você vai estabelecer pastagens na próxima estação chuvosa, já foi orientado quanto à escolha das forrageiras que serão plantadas? Os cultivares escolhidos se adaptarão às condições climáticas e de solos da sua fazenda? Já cotou e, de preferência, comprou as sementes? Já começou o preparo do solo enquanto ele ainda estava friável ("macio")? Já está planejada a sequência de operações de preparo do solo?


E nas pastagens já estabelecidas, têm piquetes infestados por plantas de folhas largas, de portes subarbustivos, arbustivos ou arbóreos que podem ser controladas pelo método localizado, no caule ou no toco, e durante a seca? E têm pragas de solos, tais como cupins, formigas, percevejos castanhos, que podem ser controladas durante a estação da seca? Se tem, o controle foi executado na seca passada?


Se serão feitas correções e adubações dos solos, independentemente de ser em áreas que serão estabelecidas (pastagens ou culturas agrícolas), ou em manutenção (pastagens), as fontes de corretivos e adubos já foram escolhidas? Já foram cotadas? Compradas?


A capacidade de suporte das pastagens da sua fazenda para esse período já foi calculada? Aqui, o que mais importa é se o rebanho foi pesado para a taxa de lotação ser calculada, se já estão previstas as compras ou as vendas de animais para o ajuste da taxa de lotação na capacidade de suporte da pastagem.


O controle e prevenção de doenças do seu rebanho estão em dia? Os protocolos de aplicação de vacinas, vermífugos e medicamentos são realizados com os animais imobilizados individualmente, ou você ainda faz em tronco coletivo?


E o rebanho tem sido pesado com certa frequência? Independentemente do tipo de balança, você adota algum protocolo específico de pesagem? Pesa após um jejum? E quais as decisões você tem tomado com base nas pesagens?


E a suplementação do rebanho, já foi mudada? Você tem dúvidas sobre quando trocar o tipo de suplemento e qual tipo de suplemento fornecer para os animais? Eu pergunto: você e os integrantes de sua equipe de campo sabem avaliar escore de fezes para a tomada de decisão de quando mudar, como mudar e qual tipo de suplemento fornecer?


E a fonte de água disponível para os animais? A água está em uma cacimba? Em um açude? É de córrego ou de um riacho? Ou está em um bebedouro artificial?


Mês de novembro, praticamente findando o ano de 2021 e a safra 2020/2021 já se foi há seis meses – é um momento decisivo para ir fazendo o fechamento do ano civil de 2021, planejar 2022 e já ir fechando os primeiros seis meses do ano safra 2021/2022. Ainda, com base no fechamento e análise de indicadores técnicos e econômicos, decidir por "pisar no freio ou no acelerador". Cuide do seu fluxo de caixa, não deixe-o chegar no vermelho e depois querer justificar o porquê "olhando pelo retrovisor".



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook