• Sábado, 7 de dezembro de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Leite - O que 2019 pode nos antecipar para 2020 no mercado mundial de lácteos


Sexta-feira, 29 de novembro de 2019 - 17h00


Nos últimos dez anos a produção mundial de leite cresceu, em média, 2% ao ano (USDA).


Para 2019, o incremento na oferta deverá ser menor que a média, a expectativa é que seja de 1,7% em relação a 2018, totalizando 616,62 bilhões de litros. Veja a figura 1.


Figura 1.
Evolução da produção mundial de leite cru, em bilhões de litros, desde 2009.

* estimativa USDA
Fonte: USDA / Elaborado por Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br


A produção vem crescendo nos principais países produtores (tabela 1), porém, o ritmo tem diminuído na Índia, Estados Unidos, Rússia, Nova Zelândia e Argentina entre outros.


Tabela 1.
Produção mundial de leite fluído, em bilhões de litros, e variação, em porcentagem.


País
2017
2018
2019*
2018x2017
2019x2018
Índia
160,00
167,00
174,00
4,4%
4,2%
União Europeia
158,00
159,26
160,70
0,8%
0,9%
Estados Unidos
97,76
98,69
98,98
1,0%
0,3%
China
31,89
32,25
33,00
1,1%
2,3%
Rússia
30,93
31,45
31,88
1,7%
1,4%
Brasil
33,68
33,31
33,84
-1,1%
1,6%
Nova Zelândia
21,53
22,01
22,30
2,2%
1,3%
México
12,29
12,54
12,75
2,0%
1,7%
Argentina
10,09
10,84
10,80
7,4%
-0,3%
Ucrânia
10,52
10,30
10,12
-2,1%
-1,7%
Mundo
596,04
606,30
616,62
1,7%
1,7%

* estimativa USDA
Fonte: USDA / IBGE / Compilado pela Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br


No Brasil, por exemplo, utilizando os dados da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a produção caiu nos três últimos anos (2016, 2017 e 2018). 


Para 2019, porém, destacamos a retomada do crescimento da produção nacional. A melhoria da margem para o produtor no primeiro semestre deste ano, com a queda nos custos de produção, e o clima favorável comparativamente com o ano passado também pesaram no aumento da produção este ano. Lembrando que em 2018 tivemos a greve dos caminhoneiros que prejudicou a produção e a coleta do leite. 


Leite em pó 


A produção mundial de leite em pó (integral + desnatado) também vem crescendo, mas em um ritmo menor que a produção de leite fluído. A expectativa para 2019 é de incremento de 0,1% na produção mundial na comparação com 2018. 


Nos últimos anos a produção está praticamente estável, em um nível abaixo do registrado em 2015 (figura 2). 


Figura 2.
Produção mundial de leite em pó (integral + desnatado), em milhões de toneladas, desde 2009.



* estimativa USDA
Fonte: USDA / Elaborado pela Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br 


Demanda por lácteos 


A demanda mundial vem aumentando de forma intensa. 


Analisando as importações de leite em pó (principal produto comercializado), a expectativa para 2019 é de um crescimento de 4,5% frente a 2018. 


A China, principal compradora deverá reduzir as compras este ano. Estima-se que o volume importado de leite em pó (desnatado e integral) será 9,2% maior que em 2018, o crescimento no ano anterior havia sido de 11,7%. 


Lembrando que recentemente tivemos a habilitação de 24 laticínios brasileiros para exportar lácteos para os chineses, o que traz expectativas positivas para o setor em médio e longo prazos (confira na Carta Leite de outubro).


Figura 3.
Produção de leite fluído, em bilhões de litros (eixo da esquerda) e importação de leite em pó (eixo da direita), em milhões toneladas.

* estimativa USDA
Fonte: USDA / Elaborado por Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br 


Considerações finais 


A demanda firme e crescente versus a produção praticamente estagnada fizeram os preços do leite em pó se sustentarem no mercado internacional em 2019, mas a alta foi limitada pelo incremento na oferta de leite fluído nos principais produtores mundiais. 


Até novembro, os preços dos produtos lácteos na plataforma Global Dairy Trade (GDT), referência no mercado internacional, ficaram, em média, em US$3.317,00 por tonelada.


Na comparação com igual período do ano passado, as cotações ficaram 1,5% maiores.


A cotação do leite em pó integral, na parcial até novembro, ficou 3,1% maior que em igual período do ano anterior. 


Apesar do cenário, os preços estão bem abaixo dos verificados em 2013 e 2014, quando os patamares alcançaram os US$5 mil por tonelada. 


Para 2020, fica a expectativa de retomada do consumo interno, bem como a manutenção do apetite chinês, em especial pelo leite em pó. 


Do lado da oferta, o ritmo de crescimento da produção mundial não deverá fugir da média dos últimos anos, ou seja, a expectativa é de mercado ajustado em termos de fundamento.


A produção na Nova Zelândia, principal exportadora de lácteos, está crescente e mesmo assim vemos um cenário de manutenção das cotações. Para o primeiro trimestre de 2020, quando a produção no país começa a diminuir, os preços tendem a ficar firmes. 


Os contratos futuros de leite em pó mostram esse cenário de alta e depois a tendência de estabilidade, sendo esses os patamares esperados para o próximo ano. Veja a tabela 2.


Tabela 2.
Preços futuros do leite em pó integral nos leilões da Global Dairy Trade.



nov/19
dez/19
jan/20
fev/20
mar/20
Preços médios (US$/t)
3.327
3.309
3.321
3.341
3.344

*cotações do dia 19/11.;
Fonte: Global Dairy Trade / Compilado pela Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111