• Sexta-feira, 19 de julho de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Carta Gestor - Menos para sustentar mais


Segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 - 16h55

A população mundial é predominantemente urbana. De acordo com o Banco Mundial, a transição global de um modo de vida rural para o urbano ocorreu em 2007. 


Naquele ano, a população que vivia em áreas rurais representou 49,9% do total, frente a 50,4% em 2006. 


Nos últimos dez anos, a intensificação da redução da população rural aconteceu nos países do Leste da Ásia e do Pacífico, recuo de 10,4 pontos percentuais. Tabela 1.



No Brasil, apesar da queda mais comedida em relação à média mundial, a situação não é diferente. 


Nos últimos dez anos consolidados, a participação da população rural diminuiu 2,8 pontos percentuais. 


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), durante este mesmo período, a população brasileira cresceu 11,6%, saindo de 172,3 milhões em 2001 para 192,3 milhões em 2011.


No ano passado, apenas 15,7% da população brasileira vivia no campo. Assim, a população rural diminuiu proporcionalmente, ao passo em que a população total brasileira cresceu. 


Um exemplo chamado China


Veja na figura 1 o mapa da população rural no mundo. Quanto maiores os círculos vermelhos, mais representativa é a população rural.



África e Ásia se destacam.


A China, o país mais populoso do mundo, é um dos grandes exemplos desta conjuntura de redução da população rural.


Durante o período analisado, a relação da população rural sobre população total do país encolheu 13,3 pontos percentuais. Em 2011, a população rural representou 49,0% dos habitantes do país.


Paralelamente a isto, de 2002 até 2011, a população total chinesa cresceu 4,6%, segundo a Divisão de Estatísticas das Nações Unidas (UNdata), contando com 1,34 bilhão de habitantes neste último ano. Atualmente, a China é um grande importador de commodities agrícolas, principalmente de soja, precisando da produção de outros países.


A conta é simples


A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, sigla em inglês), estima que haja aproximadamente 870 milhões de pessoas com subnutrição crônica no mundo. 


Isto significa que, uma em cada oito pessoas no mundo, não têm a quantidade ideal de alimento todos os dias.


O incremento no consumo e a expansão populacional serão fontes incansáveis de demanda, em um cenário onde menos pessoas ocupam as áreas rurais e produzem.


Assim, cada vez mais um grupo menor de pessoas produzirá para multidões. A população rural vem diminuindo, mas a necessidade de alimento não.


Colaborou Gustavo Aguiar, zootecnista e consultor da Scot Consultoria.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



TV Scot

Podcasts



Loja

Facebook





  • Copyright 2019, Scot Consultoria, Rua Coronel Conrado Caldeira, 578 • Bebedouro - SP - Brasil - 14701-000 | +55 17 3343 5111