• Domingo, 29 de maio de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Inventário de recursos de projetos de pecuária - parte 2


Segunda-feira, 17 de janeiro de 2022 - 13h00

Zootecnista, professor de Forragicultura e Nutrição Animal no curso de Agronomia e de Forragicultura e de Pastagens e Plantas Forrageiras no curso de Zootecnia das Faculdades Associadas de Uberaba (FAZU); Consultor Associado da CONSUPEC - Consultoria e Planejamento Pecuário Ltda; investidor nas atividades de pecuária de corte e de leite.


Foto: Envato


Na primeira parte deste artigo expliquei a finalidade de um inventário de recursos e quais dados e informações podem ser coletados no escritório da empresa. Agora chegou o momento de ir para o campo.


Pastagens

No campo iniciamos pelas pastagens relacionando a identificação e a área de cada piquete, de cada módulo de pastoreio, o número de piquetes por modulo, o método de pastoreio adotado, a forrageira predominante, o estado de degradação da pastagem, os erros de manejo do pastejo, por subpastejo ou por superpastejo. Da infraestrutura da pastagem avalia-se os tipos de fonte de água para os animais, os cochos para suplementação, a provisão de sombra e suas dimensões, para identificar restrições e as consequências negativas desta situação; os tipos das cercas e seu estado de conservação. São identificadas as plantas infestantes e as pragas que infestam e atacam as pastagens, e os programas adotados para seu manejo e controle.


Rebanho

Durante o percurso nas pastagens vai se anotando também dados e informações do rebanho em relação à raça ou cruzamento, as categorias animais, a homogeneidade de apartação dos lotes, a condição corporal dos animais e seu comportamento.


Alimentação suplementar

Da suplementação é preciso ver e anotar os tipos de suplementos fornecidos, se volumosos quais são: silagens, pré-secados, fenos, cana, capim para corte; os minerais, os múltiplos (nitrogenado, proteico, energético) e concentrados que são fornecidos ao rebanho, e as estratégias de suplementação no planejamento alimentar ao longo do ano.


Benfeitorias

Das benfeitorias e edificações é preciso ver e anotar as características para orientar qual nível tecnológico de exploração será possível com a já existente e identificar itens que faltam para alcançar um outro nível tecnológico de exploração; diagnosticar se a infraestrutura não está pesada, inchada, para o nível de exploração atual e o pretendido. Currais de manejo, de confinamento, galpões, moradias, sistema de água (reservatório), implementos, máquinas e veículos precisam ser relacionados.


Ordenação das informações

Aí podemos voltar para o “escritório” para lá completar o preenchimento do formulário. Ainda sobre o rebanho serão anotados os pesos corporais médios de cada categoria animal ou lote de apartação para calcular a taxa de lotação, os consumos dos suplementos, seus níveis de garantia, ou se conhece a sua composição por meio de análises bromatológicas. Anota-se também os medicamentos, vacinas, vermífugos aplicados e suas dosagens.


Planejamento

Do calendário anual anota-se os principais eventos com o rebanho e com as pastagens para poder sugerir calendários específicos.


Comercialização

Do mercado local anota-se quais as cidades mais próximas, para onde o pecuarista vende os produtos; os preços do produto no mercado; os preços de animais para cria, recria e engorda; preços de terra; onde compra produtos agropecuários e alternativas de uso da terra para aluguel e arrendamentos, para grãos, florestas, cana, seringueira.


Financiamento

É preciso saber de onde vem o dinheiro investido na atividade e para seu custeio. É próprio? É financiado? Se financiado, quais linhas de financiamento, as taxas de juros, os prazos de carência e para pagamento?


Anotam-se os índices zootécnicos e econômicos para compará-los com os padrões de referência.


Gestão

Da gestão da atividade é preciso conhecer o organograma administrativo (as posições, cargos e funções), o uso de ferramentas de gestão (softwares, planilhas eletrônicas), os pontos fortes e fracos da empresa.


Final

Por fim anotam-se as dúvidas, os objetivos e as metas do pecuarista.


Moral da história

Para não perder o costume, deixe eu perguntar a você pecuarista uma coisa: se um consultor fosse hoje na sua fazenda para fazer um atendimento de consultoria e te perguntasse estes dados e informações para preenchimento de um formulário como este, você teria tudo em mãos e atualizado?



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook