• Segunda-feira, 11 de novembro de 2019
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Brasil volta a crescer, avalia o Banco Central


Sexta-feira, 19 de novembro de 2010 - 09h19

Após meses de relativa estabilidade, a atividade econômica voltou a crescer com mais força em setembro Levantamento divulgado ontem mostra que o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 0,69% em setembro em relação a agosto. Isso quer dizer que o Brasil teve a maior expansão da economia desde março de 2010, quando havia crescido 1,11%. O movimento era esperado pelos economistas por causa da proximidade do fim do ano. No terceiro trimestre, a atividade avançou 0,35% em relação ao segundo trimestre de 2010. “O número mensal veio um pouco melhor do que a gente esperava. Ele sinaliza alguma retomada impulsionada pelas vendas do fim do ano, o que sempre acelera a economia”, explica a economista-chefe da Rosenberg & Associados, Thaís Zara. No trimestre, porém, o ritmo de setembro não foi suficiente para elevar de forma relevante o índice na comparação com o período de abril a junho. “Mesmo com o número um pouco mais forte no mês, o indicador tem variação de 0,35% no trimestre, bem próximo da nossa estimativa preliminar para o Produto Interno Bruto (PIB) do período.” Em 12 meses, o índice do BC acumula expansão de 8,03%, o que sinaliza que a economia deve fechar o último ano do governo Lula com forte ritmo de crescimento. O número acumulado em 12 meses, porém, está mais baixo que o verificado há alguns meses, quando o IBC-Br mostrava expansão mais próxima de 10% em um ano. O IBC-Br é um indicador produzido pelo BC com vários indicadores econômicos disponíveis, que tenta capturar o ritmo e a evolução da atividade econômica e, em última instância, do PIB brasileiro. A intenção do BC foi criar um número para que houvesse análise mais rápida das variações da economia que os dados do PIB, divulgados apenas a cada trimestre pelo IBGE e com atraso de alguns meses. Por isso, o ritmo mais forte da economia em setembro pode reforçar o debate quanto à necessidade de reação da política monetária para controlar a alta dos preços verificada em 2010 e esperada para o primeiro ano do governo de Dilma. Antes mesmo da divulgação da pesquisa, o mercado financeiro já havia aumentado a previsão para o nível do juro básico da economia, a Selic, no fim de 2011. Na avaliação do mercado, para segurar a alta dos preços – que deve ser potencializada pela economia mais aquecida – o BC deve aumentar a Selic nas primeiras reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) do próximo ano. Fonte: Jornal do Comércio. 18 de novembro de 2010.



O Encontro de Analistas da Scot Consultoria contemplará grandes especialistas do mercado que irão abordar fatos e expectativas que movimentam a economia e a pecuária nacional. Acesse encontrodeanalistas.com.br e garanta sua vaga. Dia 29/11 em São Paulo.


<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar
Scot - Facebook Leite
 
Scot - Facebook Scot - Twitter Scot - Youtube Scot - Instagram Scot - Rss Scot - Linkedin

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos



Loja

Facebook