• Quarta-feira, 17 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Leite em queda no país


Quarta-feira, 14 de dezembro de 2011 - 10h05

É safra e a produção de leite aumentou. Segundo o índice Scot de captação de leite, considerando a média nacional, o volume captado pelos laticínios e cooperativas cresceu 1,8% em outubro. Em novembro o incremento foi maior. A produção cresceu 2,6% na comparação com outubro. Veja a figura 1. O índice é uma ponderação dos resultados para a captação de leite em São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Bahia. A produção foi menor apenas no Rio Grande do Sul em função da estiagem que prejudicou a rebrota do capim. Apesar disto, o aumento da captação nas demais regiões compensou a queda no estado. Não foi só a produção que aumentou, a demanda diminuiu. A maior oferta de leite acompanhada de uma redução da demanda por lácteos provocou a queda do preço do leite pago ao produtor. No varejo, o leite longa vida (UHT) que era comercializado acima de R$2,30 por litro em São Paulo há dois meses, hoje é facilmente encontrado nos supermercados com preços abaixo de R$1,80 por litro. Abrindo um parênteses, estes dias no supermercado, por curiosidade comecei a olhar a data de fabricação dos leites UHT. Boa parte deles havia sido produzido em setembro. Isto significa que as empresas de fato estavam estocadas e agora esses produtos começam a chegar ao mercado com preços bem menores. Os queijos, que vinham com preços firmes, também ficaram mais baratos nas últimas semanas colaborando com a pressão de baixa no mercado do leite. E para o produtor? No pagamento de novembro, que remunera a produção de outubro, o produtor recebeu, em média, 2,3% menos por litro de leite. O preço médio ficou em R$0,82 por litro. Em valores nominais, o leite está 14,5% mais caro na comparação com o mesmo período do ano passado (figura 2). Para o pagamento a ser realizado em meados de dezembro a expectativa é de queda. Os recuos estão estimados entre R$0,01 a R$0,03 por litro conforme a região. No Centro-Sul, a expectativa é de crescimento da oferta até janeiro/fevereiro, manutenção em março e queda a partir de abril do ano que vem. Apesar da queda para o produtor, cabe destacar que a tendência é de recuo nos custos de produção, com a melhoria das condições das pastagens e queda de preço do milho, por exemplo.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook