• Sexta-feira, 1 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Retrato do mercado de lácteos na Argentina


Quarta-feira, 1 de julho de 2009 - 10h54

Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Alimentos da Argentina (SAGPyA) elabora anualmente um quadro resumo da cadeia de lácteos no país. Pela sua análise é possível observar o destino do leite, o consumo e as exportações. Uma das informações mais interessantes neste quadro é a representação do mercado interno no escoamento da produção dos principais lácteos da Argentina. Veja o resumo na figura 1. DADOS GERAIS A Argentina produziu em 2008 cerca de 10 bilhões de litros de leite. Do total de leite produzido, aproximadamente 746 milhões de litros (o equivalente a 7,46%) foi destinado ao mercado informal. Do restante (mercado formal = 9,2 bilhões de litros), 20% foram consumidos na forma fluida e os 80% restantes consumidos como lácteos. Considerando a população da Argentina de 39,75 milhões de habitantes, o consumo per capita de leite em 2008 ficou em torno de 202 litros por habitante. LEITE FLUIDO Do total de leite fluido, 70,3% foi destinado à produção de leite pasteurizado, 25% foi para a produção de leite esterilizado (UHT) e 4,8% para achocolatados. O consumo de leite pasteurizado é quase o triplo do consumo de leite UHT (30,7 contra 10,2 litros por habitante em 2008). As exportações argentinas de leite fluido são pouco representativas, em torno de 1,33%. Neste mercado, o consumo doméstico tem grande importância. LÁCTEOS A maior parte do leite argentino vai para a produção de lácteos. Foram aproximadamente 7,44 bilhões de litros destinados à produção de manteiga, leite em pó, doce de leite, queijos, entre outros lácteos, em 2008. Dentre eles, a maior produção foi de iogurte. Foram produzidas quase 520 mil toneladas do produto. Como o consumo é mais de 98% no mercado interno, o consumo per capita em 2008 ficou em 12,83 quilos por habitante. Depois do iogurte, é destaque na Argentina a produção de queijos, em torno de 490,6 mil toneladas em 2008. Os queijos moles são os mais produzidos no país e correspondem a 53% do total de queijos produzidos (o equivalente a 260 mil toneladas). Somente 4,4% deste tipo de queijo é exportado, sendo o consumo interno muito importante, alcançando 6,3 quilos por habitante em 2008. Depois dos queijos moles, tem destaque a produção de queijos intermediários (meia cura), com total de 144 mil toneladas produzidas em 2008 (quase 8% da produção foi destinada ao mercado externo). Das 74,4 mil toneladas de queijos duros produzidas em 2008, quase 18% foi destinado ao mercado externo, sendo o consumo per capita argentino em torno de 1,43 quilos por habitante. O leite em pó é o terceiro lácteo mais produzido na Argentina (cerca de 225 mil toneladas). Proporcionalmente à sua produção, o leite em pó é o que mais é exportado. Cerca de 67,2% da produção é comercializada no mercado externo. Saber a caracterização da produção, assim como o destino dos produtos permite melhor posicionamento no mercado. Ajuda também no posicionamento estratégico de concorrentes como o Brasil.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook