• Segunda-feira, 29 de novembro de 2021
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Clima e o mercado do leite


Segunda-feira, 30 de janeiro de 2012 - 15h20

O final de 2011 e primeiras semanas de janeiro foram marcadas pela estiagem no Sul e fortes chuvas no Sudeste do país. Nestes lugares, o clima afetou negativamente a produção, mas de forma localizada, já que na média a produção aumentou no país em dezembro. O efeito da menor oferta sobre os preços aos produtores foi minimizado pela demanda reduzida por lácteos neste período. Em curto prazo, o mercado ainda é baixista. SUDESTE Em Minas Gerais o produtor recebeu, em média, R$0,826 por litro no pagamento de janeiro, que se refere ao leite entregue em dezembro do ano passado. Uma queda de 0,8% na comparação com o pagamento anterior. Em relação ao mesmo período de 2011, o produtor está recebendo 8,9% mais por litro de leite. No mercado spot, o preço do leite caiu 0,3% em janeiro. Os negócios ocorreram, em média, em R$0,82 por litro em Minas Gerais. Para o pagamento de fevereiro, a expectativa é de manutenção dos preços ao produtor em 60% dos laticínios pesquisados no estado. Os 40% restantes apontam para queda do preço do leite. Os recuos variam de R$0,01 a R$0,02 por litro. Em São Paulo, o leite caiu 1,4% no pagamento de janeiro. O preço médio para o produtor ficou em R$0,853 por litro. O volume de leite captado em dezembro aumentou em 83% das indústrias consultadas. No restante a captação ficou estável. A expectativa é de que a oferta de leite comece a recuar a partir de janeiro. O pico de produção no estado foi verificado em dezembro. Para o pagamento de fevereiro, 57% das empresas apontam para estabilidade dos preços ao produtor, enquanto 43% falam em queda. SUL Apesar da estiagem, a produção de leite aumentou na região Sul em dezembro. Com as pastagens prejudicadas, o produtor teve que suplementar o rebanho, o que aumenta o custo de produção. No Paraná houve alta de 1,3% no preço do leite pago em janeiro. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul os aumentos foram, respectivamente, de 4,7% e 3,3%. Os reflexos da falta de chuva devem ser sentidos com maior intensidade na captação de janeiro. Mesmo assim, em 67% das empresas pesquisadas na região a expectativa é de queda para o produtor no pagamento de fevereiro. Nos 33% restantes o preço do leite deve se manter. Na figura 1 estão os preços médios pagos em janeiro, referentes à produção de dezembro de 2011.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook