• Sábado, 2 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Alta em abril, mas mercado pode perder força


Sexta-feira, 30 de abril de 2010 - 10h11

O preço do leite ao produtor subiu pelo terceiro mês consecutivo. Para o próximo pagamento, no entanto, o ritmo de alta pode perder força. SUDESTE No pagamento de abril, que remunera a produção de março, o produtor mineiro recebeu, em média, R$0,05/litro a mais. O clima mais favorável, somado aos investimentos do produtor, diminuiu as perdas na produção. Em metade dos laticínios pesquisados no estado o volume captado ficou estável. Para abril, no entanto, a frente fria da primeira semana deve impactar na captação total. Em São Paulo, o leite também subiu R$0,05/litro (6,85%). O preço médio no estado segue como o maior no país, 8% acima da média nacional (figura 1). Nas regiões de Campinas, Vale do Paraíba, Sorocaba e Alta Mogiana os preços máximos (contando com as bonificações por qualidade) ultrapassaram R$0,90/litro. Assim como em Minas Gerais, a captação parou de cair em alguns laticínios paulistas. No mercado “spot” (leite comercializado entre as indústrias) a movimentação foi relativamente menor e o preço médio ficou estável em R$0,95/litro. Para o próximo pagamento, 33% das empresas consultadas falaram em manutenção dos preços. Em 67% das empresas o leite deve subir. CENTRO-OESTE Na principal bacia do Centro-Oeste, Goiás, o produtor está recebendo 23% mais pelo leite em relação ao mesmo período de 2009. O preço médio, inclusive, já é maior que o pago em Minas Gerais. Na região de Catalão, onde o volume captado caiu em 75% das empresas pesquisadas, o reajuste chegou a R$0,10/litro. SUL E NORDESTE No Sul do país o mercado está firme. No Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul o leite ao produtor subiu, respectivamente, 5,6%, 9,0% e 4,4% no pagamento de abril (produção de março). Para o próximo pagamento fala-se em reajustes nos preços, porém os aumentos devem ser mais tímidos. No Nordeste, com a chegada das chuvas é esperado aumento da produção. Dessa forma, a tendência é de manutenção dos preços. Em Alagoas foi verificada a melhor média na região, R$0,709/litro.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook