• Sexta-feira, 1 de julho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Um resumo do mercado nas principais regiões leiteiras


Sexta-feira, 26 de dezembro de 2008 - 13h05

O mercado do leite em dezembro foi marcado por uma baixa demanda, típico do período de férias e festas de finais de ano, e por um aumento na captação de leite. Esse aumento refletiu em queda no preço do leite pago ao produtor na maioria dos Estados do Sudeste e do Centro-Oeste. SUDESTE Em Minas Gerais, principal produtor de leite do País, o volume captado em novembro aumentou em 45% das empresas consultadas. O aumento poderia ser maior se não fosse a falta de estímulo de muitos produtores para investir na alimentação dos animais, diante das seguidas quedas no preço recebido pelo leite. Desde o pagamento da produção de abril o litro do leite já caiu 24,86%. No pagamento de dezembro, produção de novembro, o leite em Minas ficou, em média, cotado a R$0,59/l, queda de 1,53% em relação ao pagamento anterior. É a menor queda desde que o preço começou a cair e confirma que o movimento de baixa vem perdendo força em determinadas praças. Alguns laticínios relatam que as vendas mais fracas têm aumentado os estoques, principalmente de leite em pó e longa vida. Em São Paulo a situação não foi muito diferente. As chuvas já melhoraram as condições das pastagens e a captação aumentou em mais de 60% dos laticínios consultados. O preço pago em dezembro, pela produção de novembro, permaneceu praticamente estável, cotado a R$0,68/l. Os benefícios por volume e qualidade seguraram um pouco o preço médio pago ao produtor. O mercado bem ofertado tem dificultado os negócios no mercado “spot” (leite comercializado entre as empresas) e o preço do leite caiu para R$0,60/l em São Paulo e R$0,58/l em Minas Gerais, valores médios para o leite entregue na plataforma. CENTRO-OESTE Em Goiás, o preço do leite pago ao produtor teve pequena queda, de 0,60%, e o produtor passou a receber, em média, R$0,575/l. O aumento na produção de leite no Estado foi bem visível, pois 90% das empresas relataram maior volume captado em novembro. Para o próximo pagamento a tendência é de manutenção nos preços. Em Goiás, o preço do leite pago ao produtor já caiu 26,51% desde que atingiu o pico no pagamento de maio, referente à produção de abril. No Mato Grosso do Sul a queda no preço do leite foi de R$0,02/l (4,82%), maior recuo observado no País para o pagamento de dezembro. Em Campo Grande os negócios ocorreram na média de R$0,48/l. NORTE Os preços em Rondônia e Pará fecharam estáveis no pagamento de dezembro, pela produção de novembro, em R$0,49/l e R$0,47/l, respectivamente. Estão entre os menores preços encontrados nas praças pesquisadas, sendo cerca de 18% abaixo da média ponderada nacional. As empresas dessa região vêm sofrendo os efeitos diretos da menor demanda na região Sudeste, principal mercado dos produtos lácteos industrializados no Norte. SUL Na região Sul, as chuvas fortes em algumas áreas de Santa Catarina e a estiagem em parte do Paraná e Rio Grande do Sul contribuíram para queda na produção e o mercado segue em um sentido oposto ao Sudeste e Centro-Oeste. No Paraná, o preço do leite reagiu 2,60% ou R$0,015/l e é cotado a R$0,61/l. Na região de Castro o produtor consegue, em média, R$0,63/l, ágio de 7,88% em relação à região de Maringá. Em Santa Catarina, a captação recuou em metade das empresas consultadas. Em dezembro o produtor catarinense recebeu, em média, R$0,02 a mais por litro. Veja na figura 2 que este foi o maior reajuste observado no país (4,40%). Santa Catarina tem o menor preço da região Sul e a tendência, de acordo com algumas empresas, é de aumento nos preços até patamares próximos do Paraná e Rio Grande do Sul. No Rio Grande do Sul a produção caiu em todas as empresas consultadas. A estiagem em algumas áreas também refletiu em queda na produção. Em média, o preço do leite pago ao produtor em dezembro, pela produção de novembro, foi de R$0,57/l, alta de 2,95% em relação ao pagamento anterior. Várias empresas no Paraná e Rio Grande do Sul relataram recuo nas vendas de leite em pó em dezembro. NORDESTE No Nordeste, os preços do leite pagos aos produtores caíram, em média, 1,18% em relação ao pagamento anterior. As maiores quedas foram no Ceará (2,69%) e no Maranhão (1,85%). Apesar das leves quedas, Alagoas e Pernambuco são os Estados com as maiores médias nacionais em dezembro, cerca de R$0,69/l. Na Bahia, o produtor recebeu, em média, R$0,64/l, no Ceará, R$0,63/l e no Maranhão R$0,57/l.
<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook