• Quinta-feira, 11 de agosto de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Atacado e varejo


Quinta-feira, 29 de outubro de 2009 - 16h25

O mercado atacadista de produtos lácteos, sob grande influência do leite longa vida, trabalhou em baixa em outubro. Em média, a desvalorização foi de 2,2%. O preço do leite longa vida (UHT), principal lácteo comercializado no país, caiu pelo quarto mês consecutivo. Depois do preço recorde em junho, a desvalorização acumulada até outubro é de 40% no atacado. A cotação do UHT, R$1,38/litro, está 11% menor quando comparada a setembro. E, o consumo do longa vida continua “patinando”. Com o fim da entressafra, a capitação de leite tem aumentado e a matéria prima (leite cru) está mais barata. Para estimular as vendas, os preços baixaram. Muitas empresas já trabalham com estoques dos principais produtos lácteos. O leite em pó foi outro produto que teve queda de preço considerável no mês. Sendo o principal item exportado pelo país, a desvalorização do dólar tem prejudicado os embarques. Os queijos, cuja demanda é menor no verão, também se desvalorizaram. A queda foi de 3%, em média, no atacado e 1% no varejo. O consumidor está pagando 11% menos pelo longa vida em relação a setembro. O produto está cotado em R$1,71/litro, no entanto, esse preço está 10,5% maior que no mesmo período de 2008. O leite pasteurizado, que sofre grande influência do UHT, está 4,5% mais barato para o consumidor. Para o próximo mês, com a proximidade das férias escolares, novas quedas de preços podem ocorrer, principalmente para os leites fluídos.
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook