Scot Consultoria
www.scotconsultoria.com.br

Descobriram o maio-09

por Leandro Bovo
Sexta-feira, 6 de março de 2009 -13h54
Desde o dia 27/01 os mercados físico e futuro operam sob a influência negativa da notícia do pedido de recuperação judicial de um importante frigorífico brasileiro. Como não poderia ser diferente, as ofertas de compra recuaram bastante, o que acabou acelerando a queda do Indicador ESALQ à vista, trazendo-o para baixo de R$80,00/@. Na verdade, chegou a R$78,80/@ no dia 04/03.

Juntamente com a queda do mercado físico, veio o mercado futuro, com o out-09 rompendo um forte suporte ao redor de R$80,00/@, que se sustentava desde o começo do ano. Agora esse contrato vem sendo negociado ao redor dos R$79,00/@, porém, ainda com movimentações bastante tímidas e baixo número de negócios diários.

O grande destaque da semana foi o contrato mai-09, que apresentou uma grande volatilidade e intensa movimentação a partir do dia 02/03. Para se ter uma idéia da enorme movimentação desse contrato, observe na tabela 1 o numero de contratos negociados em todos os vencimentos desde 02/03.



Toda essa movimentação observada teve um grande viés especulativo, com um aumento substancial da porcentagem de negócios efetuados e liquidados no mesmo dia (day trade). O percentual de day trade vinha relativamente baixo neste ano, ao redor de 25% dos negócios realizados. Na última semana, ele foi de 31,75% no dia 2; 51,80% no dia 3; e impressionantes 75,67% no dia 4, um recorde para o mercado.

No pregão do dia 3, com 9.262 contratos negociados em todos os vencimentos, foram liquidadas apenas
72 posições no mercado, sem modificação relevante na posição de nenhum participante, evidenciando mais uma vez uma movimentação apenas de “giro diário” como indicado pelo alto percentual de “day trade”.

Independente da movimentação diária, o contrato de mai-09 encontra-se em um “canal de baixa”, seguindo a tendência do mercado físico, como pode ser observado no gráfico 1. Enquanto o mercado físico permanecer bem ofertado e com quedas de preços, possivelmente esse contrato não terá força para romper os limites superiores do canal de baixa, permanecendo então sem muita sustentação.