• Segunda-feira, 15 de julho de 2024
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

O problema é de quem?


Terça-feira, 14 de dezembro de 2021 - 12h00

A indústria foi muito agressiva nas compras de boi gordo no final de novembro, movimento que trouxe os preços da mínima para a máxima do ano em apenas 15 dias. As cotações em São Paulo saíram de ao redor de R$260,00/@ para a máxima de R$330,00/@ num dos movimentos mais rápidos e mais intensos de que se tem notícia. Essa agressividade nas compras conseguiu trazer um bom volume de oferta para o mercado e as programações de abate saíram de níveis críticos para níveis muito confortáveis e não são raros os casos de indústrias com a programação de abate de dezembro já completa.


O que esteve por trás de tamanha agressividade é difícil de saber ao certo, porém a aposta mais sensata seria que a confiança na reabertura da China era tão grande, que as indústrias tentaram se antecipar a esse movimento comprando tudo o que podiam antes da notícia sair. O problema foi que a volta da China até agora não aconteceu e todo esse volume comprado vai ter que ser direcionado ao mercado interno ou a compradores externos menos remuneradores.


Não é difícil imaginar que essa “errada de mão” custará bem caro às indústrias e elas tentarão de todas as formas “dividir” essa conta com o pecuarista, tentando impor recuos nas compras das próximas semanas. O fiel da balança vai ser o comportamento do produtor frente a essa pressão que já começa a crescer em todas as regiões produtoras do Brasil. Com as câmaras frias lotadas e as escalas de abate preenchidas, o apetite da indústria tende a ser muito pequeno e quem precisar vender vai se deparar com preços mais baixos.


Pelo visto, a “caixa de ferramentas” vai voltar a ter todos os seus itens usados para tentar impor recuos no mercado físico, especialmente se a China não der nenhuma resposta positiva ao longo de dezembro.


Depois de 15 dias do mercado subindo sem absolutamente nenhuma resistência por parte da indústria, a briga voltou a ficar intensa e com certeza a volatilidade tende a ser grande no mercado futuro nas próximas semanas. Há apenas uma semana os contratos de dez/21 e jan/22 estavam, respectivamente, em R$332,00/@ e R$335,00/@, agora estão em R$306,50/@ e R$312,00/@. O mercado futuro exagerou na alta e com certeza deve exagerar na queda, mas esses exageros sempre abrem ótimas oportunidades. É bom ficar atento.


TABELA 1. Mercado futuro do boi gordo na B3 - R$/@, à vista.



Fonte: Cepea/Esalq - B3


 



<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>
Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja