• Sábado, 25 de junho de 2022
  • Receba nossos relatórios diários e gratuitos
Scot Consultoria

Preços menores que em 2016


Quinta-feira, 9 de novembro de 2017 - 14h20

Alta de preços. No acumulado dos últimos sete dias o mercado subiu 1,0%. As vendas melhoraram. Novembro é mês de sazonal melhoria no escoamento.


O que puxou o mercado foram cortes de dianteiro, “mais baratos”, com valorização de 1,4%, contra 0,4% de alta para o traseiro.


Embora, considerando todos os itens pesquisados, o preço médio atual, R$17,67/kg, seja o maior das últimas quatro semanas, é ainda 0,8% menor que a máxima encontrada nesta segunda metade do ano, especificamente no final da primeira quinzena de setembro.


Até mesmo em 2015, primeiro ano da recente recessão pela qual passamos, os preços subiram quase que linearmente no semestre, até dezembro, como é normal para o período. O que temos hoje é um comportamento muito semelhante ao de 2016 no mercado de carne bovina.


Ainda assim, no ano anterior, o patamar de preços era outro. Em doze meses as cotações caíram 4,4%.




VAREJO


Mercado com viés de alta.


Em São Paulo a valorização em sete dias foi de 0,4%, de 0,2% no Paraná e de 0,1% no Rio de Janeiro. Em Minas houve queda de 0,1%.


O efeito de começo de mês não foi suficiente para impor grandes reajustes aos preços dos cortes vendidos no varejo.


A margem dos açougues e supermercados paulistas chegou a 70,75%, superando os 70,0% depois de nove semanas.





<< Notícia Anterior Próxima Notícia >>

Buscar

Newsletter diária

Receba nossos relatórios diários e gratuitos


Loja

Facebook